Lucro das cias de capital aberto cresce 76,25% no 2° trimestre

 O luco reportado pelas 308 empresas de capital aberto com ações negociadas na Bovespa no segundo trimestre de 2018 foi 76,25% maior do que o verificado em igual período do ano passado, ao crescer de R$ 22,37 bilhões para R$ 39,44 bilhões, segundo levantamento da Economatica. 

O resultado teve expressivo impacto dos lucros de R$ 10 bilhões da Petrobras (no mesmo período do ano passado o lucro foi de R$ 316 milhões), e de R$ 2,81 bilhões da Eletrobas (contra R$ 306,65 milhões no segundo trimestre de 2017). A Petrobras é inclusive a empresa da amostra com o maior lucro registrado de abril a junho de 2018. Na sequência aparecem Itaú, com R$ 6,24 bilhões, e Bradesco, com R$ 4,52 bilhões.

Das vinte empresas mais lucrativas, três registram queda de lucratividade no segundo trimestre de 2018 com relação a igual período de 2017. A Braskem teve o maior recuo, com variação negativa de R$ 542,5 milhões, seguida pela Cielo, com queda de R$ 176,7 milhões, e pela Kroton, com recuo de R$ 79,8 milhões. Os setores de energia elétrica e bancos, com quatro empresas cada, são os mais presentes entre as vinte empresas mais lucrativas.

Na outra ponta, o maior prejuízo, de R$ 1,84 bilhão, foi da Suzano. Em seguida aparece a BRF, com prejuízo de R$ 1,58 bilhão, e a Gol, com R$ 1,32 bilhão. O setor de alimentos e bebidas com quatro empresas tem o maior número de empresas na lista dos vinte maiores prejuízos, seguido pelo setor de papel e celulose com três.


Cadastre-se e receba gratuitamente newsletter do site Investidor Institucional, com síntese das nossas notícias diárias. Preencha os dados abaixo e nos envie, inserindo a seguir o email ii@investidorinstitucional.com.br na sua lista de contatos para não sermos barrados como spam.
Li e concordo com termos e condições de uso