Busca
    

Indústria de fundos tem captação líquida recorde de R$ 220,7 bilhões em 2017 até setembro

09-10-2017 - 15:01:27

 

A indústria de fundos de investimento registrou captação líquida recorde de R$ 220,7 bilhões no acumulado de 2017 até setembro, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 9 de outubro, pela Anbima. Trata-se do maior montante para o período desde o início da série histórica em 2002. Como base de comparação, em igual período do ano passado a captação líquida foi de R$ 83 bilhões. Se considerado apenas o terceiro trimestre de 2017, a captação líquida da indústria brasileira de fundos atingiu R$ 90,1 bilhões e também alcançou marca recorde para o período considerado. No terceiro trimestre de 2016 a captação foi de R$ 38 bilhões.

No acumulado de 2017 até setembro, a classe de renda fixa lidera a captação com R$ 88,4 bilhões, seguida pelos multimercados, com R$ 77,5 bilhões, e pelos fundos de previdência, com R$ 29,4 bilhões. Os fundos de ações captaram R$ 4,6 bilhões, mas segundo Carlos Ambrósio, vice-presidente da Anbima, esse número poderia ter alcançado os R$ 11,3 bilhões, se não tivesse ocorrido a amortização de R$ 6,7 bilhões de dois grandes fundos do mercado no período analisado (BB Carteira Livre FI Ações, que teve resgate de R$ 3,7 bilhões no ano, e o Carteira Ativa III FIA, da Caixa, com resgate de R$ 3 bilhões no ano). A única classe que registrou resgate líquido no ano foi a de fundos cambiais, com saídas da ordem de R$ 700 milhões.

Na divisão por tipo de investidor, que nesse caso considera os dados no acumulado do ano até agosto, lideram varejo e private, com R$ 65,9 bilhões e R$ 61,4 bilhões, respectivamente. Os fundos de pensão foram os que menos alocaram recursos na indústria, com R$ 1,3 bilhão. Ambrósio apontou a atratividade dos prêmios na renda fixa como fator principal para a dinâmica observada entre as fundações.

Sobre as perspectivas para os próximos trimestres, o vice-presidente da Anbima disse, durante teleconferência com jornalistas, que, levando em consideração a performance que a indústria tem apresentado recentemente, com um cenário econômico em processo de recuperação, e caso tenhamos um ambiente político relativamente estável, a tendência é de um prosseguimento do desempenho observado até agora em 2017.


VídeosOnline

Mais lidas de Investidor Institucional em 3 meses

Mais lidas de InvestidorOline em 1 mês